• Descobre o Voluntário que há em ti.

Breve historial

A Cruz Vermelha Portuguesa é uma instituição humanitária não governamental de carácter voluntário e de interesse público, sem fins lucrativos. Foi fundada a 11 de fevereiro de 1865 por José António Marques e integra o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho - a maior rede humanitária do mundo, incorporando o Comité Internacional da Cruz Vermelha e a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, bem como as Sociedades Nacionais em cerca de 190 países.

O objetivo fundamental da Cruz Vermelha Portuguesa é prestar assistência humanitária e social, em especial aos mais vulneráveis. As suas ações pretendem prevenir e reparar o sofrimento, e simultaneamente contribuir para a defesa da vida, da saúde e da dignidade humana.

A Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa, foi a 5.ª Delegação da então designada Comissão Portuguesa de Socorros a Feridos e Doentes Militares em tempo de Guerra, a ser instalada no país, decorria o ano de 1870. No entanto, a instalação “in facto” da Delegação só aconteceu no ano de 1914, a 14 de novembro sendo seus fundadores o Dr. Eliseu de Sousa Drumond, Capitão José Sotero e Silva, Tenente António Agostinho Câmara e Manuel Passos de Freitas, aquando das primeiras batalhas da guerra de 1914. Na Madeira foi por altura de 1916 que a guerra fez a sua mais violenta aparição tendo a jovem Delegação, na altura, marcado a sua presença na zona da Quinta Vigia e Fortaleza de São Tiago, zonas que tinham sido bombardeadas pelos submarinos alemães.

História

A Delegação da Madeira situa-se, atualmente, na praça Severiano Ferraz, vulgarmente chamada de praça da Cruz Vermelha.

Em 1987 é reestruturado o sector de socorro e emergência, com a criação da Coluna de Socorro “Henry Dunant”, constituída por jovens voluntários habilitados para a prestação do primeiro socorro em situações de emergência. Desde então a Delegação mantem um piquete diário com duas equipas de ambulância, reforçado desde 2001 com o Corpo de Enfermagem, constituído por enfermeiros que acabam de concluir a licenciatura e que recebem formação específica para a emergência pré-hospitalar.

Em 1989 a Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa estende a sua ação ao sector da educação com a criação do infantário Colibri, nas instalações da sede. Em 1993 é inaugurado o Infantário Donamina e é desativado o Colibri. Em 1999 o sector da educação da CVP é complementado com a construção do Complexo Dona Olga de Brito, na Achada, constituído por um infantário, uma escola básica, a que se junta um lar para idosos.

História

Durante este cento e três anos de atividade continuada a Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa tem sido chamada a intervir nas mais variadas ações de socorro à população madeirense, sendo de destacar:

03DEZ1916 e 12DEZ1917 – ataques de um submarino alemão.

19JUN84 - Acidente de autocarro na Pena

12MAI91- Visita do Papa João Paulo II à RAM

29OUT93 - Cheias de Outubro de 1993

23DEZ05 - Acidente com autocarro em S. Vicente

20FEV2010

  • Incêndios de 2012 e 2013
  • Incêndios de 2016

Da atividade diária da Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa merece destaque:

O Funcionamento de dois estabelecimentos escolares, Donamina com creche e infantário e Donaolga com infantário e escola básica e o Lar para idosos, ocupando cerca de 70 funcionários.

 O Sector de Socorro e Emergência (Coluna de Socorro e Corpo de Enfermagem) com um piquete diário com 2 equipas. Este sector tem 150 voluntários e garante, ainda, a pedido das entidades promotoras, o apoio na emergência pré-hospitalar aos mais variados eventos (jogos desportivos, festa da flor, cortejo de carnaval, arraiais, concertos, etc.).

Voluntariado do Apoio Geral (VAG) com cerca de trinta voluntárias dedica-se a trabalhos na área do apoio social nomeadamente: serviço de café no Hospital Dr. Nélio Mendonça, apoio a um grupo de idosos às 3.ª e 5.ªs feiras; preparação e distribuição de roupas, realização de bazar anual (Natal) para angariação de fundos.

Ensino do Socorrismo – uma das missões mais importantes da Cruz Vermelha é o ensino dos primeiros socorros. A Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa possui formadores habilitados para a formação em primeiros socorros que ministram cursos a qualquer pessoa ou empresa que os solicite. São também os responsáveis pela formação dos nossos socorristas tripulantes de ambulância.

Do trabalho da Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa merecem ainda um destaque especial as ações seguintes:

Missão Sorriso – Em parceria com o grupo Sonae a Delegação faz recolha de alimentos duas vezes ao ano (março/outubro), em todas as superfícies comerciais daquele grupo empresarial. O produto das recolhas é distribuído a famílias carenciadas que constam dos registos da Delegação. Todo este trabalho (recolha, inventário, armazenamento e distribuição) é feito pelos nossos voluntários.

20FEV10 – “Juntos pela Madeira” - A intempérie do 20FEV10 desencadeou uma enorme onde de solidariedade a que, naturalmente a Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa esteve associada. A campanha denominada “Juntos pela Madeira que contou com a participação da RTP Madeira e do grupo Sonae juntou cerca de um milhão e oitocentos mil euros, que desde a primeira hora foram destinados ao realojamento dos atingidos pela intempérie, possibilitando a construção do Aldeamento da Pereira na Serra d’Água~, de quatro apartamentos no sitio das Bróteas na Ribeira Grande e a recuperação de outras seis habitações, em Câmara de Lobos e Funchal.

Incêndios de 2016 – para além de todo o trabalho inerente à situação catastrófica provocada pelos incêndios, no apoio às corporações de bombeiros e às populações atingidas, a Delegação abriu uma conta solidária que permitiu a reconstrução de sete habitações em diversas freguesias do concelho do Funchal.

Powered by jms multisite for joomla